O canabidiol é um composto químico encontrado na planta Cannabis sativa, popularmente conhecida como maconha.

Existe um preconceito com a Canabis (maconha), e é preciso parar e pensar que existem dois tipos de uso: o uso recreativo e o uso medicinal. 

A grande parte do uso medicinal é chamado de Canabidiol,  conhecido como CBD, que não possui nenhuma atividade psíquica. Ou seja, não causa nenhum “barato” no paciente.  Este tipo de tratamento é indicado principalmente para indivíduos que sofrem com dores e convulsões intratáveis. 

Nos 50 estados dos Estados Unidos, é fácil encontrar o Canabidiol, tanto em mercados como em farmácias, não havendo qualquer restrição para o acesso ao CBD. 

Já no Brasil, entretanto, ocorre o oposto. Para conseguirmos utilizar esse medicamento, primeiramente precisamos de uma autorização da Anvisa para, assim, começarmos todo o processo da importação do CBD. 

Existe uma outra parte medicinal da Canabis: o THC. Ele é a substância responsável pelos efeitos psicoativos da maconha. O uso do THC é destinado a pacientes que estão em um estado extremo da doença. 40% dos pacientes que morrem de câncer também morrem por causa da caquexia, um estado em que a pessoa perde a massa muscular, o apetite, fica sem forças para nada. Este tipo de paciente recebe o THC em uma quantidade correta para não ficar sob efeitos psicoativos e, assim, restabelecer o apetite.

Portanto, devemos deixar o preconceito de lado e atentar para a importância da planta, aproveitando-a da maneira correta.